Fique a par de um conjunto de notícias soltas, da autoria do José António Marques do Sportmotores.com, sobre o Rally de Lisboa disputado no fim de semana.

Sami Pajari a voar baixinho
O Campeão Mundial de Ralis Junior de 2021 foi uma das presenças de destaque. Ao volante de um Mitsubishi Lancer Evo IX da Domingos Sport venceu a classificação reservada ao Troféu Regional de Ralis do Sul (TRRS) e numa hipotética classificação geral seria 2º classificado a 17s de Bernardo Sousa. Convém não esquecer que o homem do Citroen C3 R5 fez um pião no primeiro troço perdendo mais de 10 segundos.

Uns Peugeot 106 voadores
A classificação reservada ao Start Sul teve três Peugeot 106 nos cinco primeiros lugares. João Rodrigues num bem preparado e bem conduzido exemplar da marca de Sochaux foi o vencedor, conseguindo ainda o 4º lugar no rali do TRRS. Gonçalo Boaventura foi 3º e Pedro Baiona foi 5º. Os participantes do Start Sul ficaram bem longe dos lugares da frente, com a exceção de José Gomes que com o Renault Clio R3 se bateu com João Rodrigues.

O efeito Bernardo Sousa
Assim que Bernardo Sousa foi anunciado, passou a ser o ponto alto da prova. Uma jogada certeira do CPKA que elevou a visibilidade da prova para níveis muito acima de qualquer rali do CPR. O facto de levar a namorada (Bruna Gomes que conta com 7 milhões de seguidores nas redes sociais) a fazer uma passagem no “shakedown” em Loures foi uma amostra do que aí vinha.

As transmissões em streaming bateram recordes, a quantidade de público (essencialmente feminino) para ver o madeirense especialmente na zona da Expo teve um incremento bem notório, e a TVI esteve presente com direito a notícia em horário nobre no Domingo. A vitória de Bernardo Sousa no Big Brother pode fazer muito pelos ralis, desde que se saiba fazer as coisas bem feitas. Estranho é que haja gente dos ralis a defender que esta visibilidade é dispensável!

Pedro Paixão lembrado
O trágico desaparecimento de Pedro Paixão foi lembrado na cerimónia de partida simbólica com 1 minuto de silêncio, e voltou a ser na entrega de prémios no Domingo onde as garrafas de espumante no pódio não foram abertas.

Prova candidata-se ao CPR ou ao Promo?
A prova do CPKA assume-se como candidata a subir, mas a duvida é a que campeonato. Se em 2021 assumia a candidatura ao regional sul para a seguir se candidatar ao CPR, com a chegada do campeonato Promo tudo se baralha. O clube diz que é candidata ao CPR, a FPAK diz que apenas se pode candidatar aos Promo… e é reconhecido que o CPR precisa do Rali de Lisboa.

Não há idade para fazer ralis
Jaime Falcão é um simpático algarvio que disputa o Campeonato Start Sul ao volante de um Mazda 323, e conta com 76 anos de idade. Poderia ser o piloto mais velho no Rali de Lisboa, mas isso era se Carlos Pereira não se tivesse inscrito. O homem que conduziu o Mini 1000 número 34 regressou aos ralis aos 80 anos!

250.000 Euros de orçamento
No final da prova Humberto Silva, o homem forte do CPKA, afirmou em entrevista que o orçamento do Rali de Lisboa ronda os 250.000 Euros. Isto é um valor que dá que pensar a alguns organizadores de ralis, só que o Rali de Lisboa mostra trabalho feito com forte aposta na imagem, e prova que “sem omoletes não se fazem ovos”.

Troféu Porsche
O CPKA criou um troféu Porsche by CPKA e com isso atraiu um total de seis carros da marca germânica. Num ano em que as provas do Campeonato de GT têm estado em branco, não deixa de ter a sua curiosidade.

Texto: José António Marques (Sportmotores.com)